PERCENT

Promoção da eficiência Energética, energia Renovável e Contratos de Eficiência eNergéTica no setor da hotelaria

Por solicitação de hotéis foi estendido o prazo de candidatura para participação no projeto PERCENT até dia 16 de julho de 2018.

 

Resumo

O projeto PERCENT dinamiza uma abordagem colaborativa de promoção da eficiência energética em hotéis, assente em Tecnologias da Comunicação e Informação, a qual permitirá de uma forma rentável avaliar a eficiência energética, promover poupanças de energia e validar melhorias.

Mais informações
 

Resultados


  • Tarefa 1: Seleção dos 25 hotéis caso de estudo (5 dos quais termais) para instalação do sistema de medição Hotel Adaptation Tracker (HAT);
  • Tarefa 2: Instalação de sistema de medição para monitorização energética e de alarmística de energia nos 25 hotéis;
  • Tarefa 3: Ajustar os parâmetros de avaliação do sistema HAT para cada hotel e definição de uma referência inicial;
  • Tarefa 4: Proposta de medidas de melhoria de eficiência energética dos hotéis;
  • Tarefa 5: Proposta de contrato de desempenho energético para implementação de medidas de melhoria de eficiência energética e de energia renovável;
  • Tarefa 6: Divulgação dos resultados do Projeto.

Publicações


Disponível mais tarde

 

Eventos


Pinto, A. - Apresentação do Estudo PERCENT: Eficiência Energética em Hotéis e Hotéis Termais.
Apresentação efetuada nas Jornada de reflexão: Mobilização do Setor Hoteleiro para a Eficiência Energética do projeto EETUR. Organização ISQ, abril de 2018.

FAQs


Os hotéis que participem no projeto PERCENT terão o benefício de ficarem dotados de um sistema de monitorização e de alarmística que permitirá apoiar a melhoria da gestão de energia e de água, podendo ser estimadas poupanças de 5% a 10% só pelo facto deste sistema fornecer informação que permitam evitar desperdícios de energia e de água e pela identificação em tempo real do uso eficiente de recursos.
Na sequência do estudo, em função da análise dos resultados, serão identificados potenciais de melhoria da eficiência energética e energia renovável de cada hotel, que se pretendem possam permitir a implementação de medidas de melhoria e o desenvolvimento de contratos de desempenho energético adaptados ao sector da hotelaria. O consórcio irá desenvolver, em articulação com fontes de financiamento existentes ou a desenvolver em conjunto com o FAI, mecanismo que tornem viável a implementação de medidas de melhoria com períodos de retorno não superiores a 4 a 8 anos e que conduzam a poupanças efetivas de energia e de melhoria da eficiência energética, que será monitorizada pelo sistema HAT 2.0.
Os hotéis parceiros do projeto irão dotar a administração pública de informação que permite desenvolver políticas energéticas e programas de financiamento sustentados e adaptados ao setor e que maximizem a relação custo-benefício, contribuindo para a descarbonização do setor.
Os técnicos dos hotéis receberão formação específica sobre o uso dos sistemas de monitorização e alarmística HAT 2.0.
Em função dos resultados, pretende-se em articulação com o FAI desenvolver um prémio de eficiência energética dos hotéis resultante da avaliação realizada de forma automática pelo sistema HAT 2.0, para incentivar e reconhecer as boas práticas de gestão de energia na hotelaria.

O projeto está aberto a todos os empreendimentos turísticos, sendo nesta fase selecionados apenas 25 hotéis (5 dos quais termais) que revelem maior potencial de melhoria da eficiência energética e de efetivo interesse na implementação das medidas de melhoria que resultem do estudo e que sejam reconhecidas pelos hotéis e que apresentem períodos de retorno compatíveis com a prática do setor e com os apoios financeiros existentes ou a desenvolver em conjunto com o FAI.
As medidas de melhoria normalmente identificadas e a sua frequência de utilização em contratos de desempenho energético encontram-se indicadas na figura seguinte. Neste projeto essas medidas e outras adaptadas aos hotéis (eficiência de minibar, equipamento de cozinha, etc) serão objeto de análise específica para cada hotel.

No decurso do projeto toda a informação terá um tratamento confidencial, sendo anonimizada.
A informação dos hotéis na fase de seleção dos 25 casos de estudo será recolhida de forma automática num questionário on-line, sendo anonimizada (substituição do nome do estabelecimento por código, seleção de gamas em vez de numero exatos, etc). Após essa anonimização, será efetuada a análise dos questionários apenas pelos parceiros do projeto seguindo a matriz especifica de avaliação e seleção de hotéis.
No decurso do projeto, a informação dos hotéis será também anonima, encontrando-se apenas acessível ao Empreendimento Turístico e será alojada em servidores do LNEC. Serão efetuados relatórios de avaliação da eficiência energética do setor com dados agregados, permitindo ao país suportar o desenvolvimento de políticas públicas de eficiência energética do setor da hotelaria.

Sim, devendo para esse efeito na fase de candidatura e preenchimento do formulário identificar cada uma das unidades.

Os hotéis serão selecionados tendo em conta uma matriz de avaliação desenvolvida pelo consórcio que pondera:

  • O potencial de melhoria de eficiência energética, tendo em conta tipo de sistemas energéticos, época de construção, consumos de energia específicos, etc.
  • A localização geográfica;
  • O tipo de empreendimento turístico;
  • Motivação para a implementação de medidas de melhora da eficiência energética e incorporação de energia renováveis.
Para esse efeito é solicitado que os hotéis respondam a um questionário inicial, que será objeto de tratamento automático com base numa matriz de avaliação que irá hierarquizar os hotéis e conduzir à seleção dos 25 casos de estudo.

A seleção dos hotéis é efetuada pelo consórcio (LNEC, IPMA, AHP, ATP e Schneider Electric) que desenvolverá uma matriz de avaliação dos questionários. Como referido na FAQ 9, a seleção dos hotéis será automática, com base nos critérios a estabelecer pelo consórcio e que são públicos.

A possibilidade de participação dos hotéis e de inscrição no projeto está disponível até 30 de junho. O consórcio notificará os hotéis participantes do resultado obtido da sua unidade. Após validação, a lista dos hotéis selecionados será tornada pública no sítio do projeto até 29 de julho.

Os 25 hotéis caso de estudo selecionados subscreverão um contrato de projeto com a minuta disponível aqui, em que se estabelece a relação de cada hotel com o consórcio do projeto, nomeadamente:

  • Identificar um elemento de contacto para os aspetos técnicos e de avaliação da relação custo-benefício da implementação das medidas de melhoria da eficiência energética e de incorporação de energia renovável, para suportar o desenvolvimento do projeto e a avaliação das relações custo-benefício e o desenvolvimento das medidas de melhoria que vieram a ser estabelecidas com período de retorno aceites pelos hotéis e compatíveis com a capacidade de investimento e com instrumentos financeiros das medidas previstas no âmbito das políticas públicas de promoção da eficiência energética;
  • Facultar apoio ao consórcio Percent na instalação do sistema automática de monitorização e alarmística;
  • Facultar pelo menos um técnico durante um dia para apoio à customização do hotel na plataforma HAT 2.0 e para receber formação sobre a utilização do sistema HAT 2.0 de monitorização e alarmística de forma a possibilitar a redução de consumo de energia e de avaliação da eficiência do hotel, para suporte à gestão de recursos energéticos e hídricos do hotel e de apoio ao suporte das políticas públicas.

O projeto PERCENT é um estudo-técnico cientifico ao abrigo da Tipologia d), do artigo n.º 3 do Regulamento do Fundo e Apoio à Inovação para Promoção da eficiência Energética, energia Renovável e Contratos de Eficiência eNergéTica no setor da hotelaria, que se destina suportar de forma efetiva o conhecimento das entidades públicas e privadas na área da eficiência energética e das energias renováveis.

O presente projeto dinamiza uma abordagem colaborativa de transferência de conhecimento para a promoção da eficiência energética em hotéis, em articulação com os objetivos do Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética PNAEE e da Diretiva sobre Eficiência Energética. A abordagem proposta e a sua implementação assenta em Tecnologias da Comunicação e Informação e permitirá de uma forma rentável:

  • Implementar nos hotéis um sistema inovador de monitorização e de alarmística energética, em que serão utilizados sistemas de medição e transmissão de dados automáticos, ligados ao sistema de análise Hotel Adaptation Tracker (HAT) que é suportado pela simulação energética em regime dinâmico dos edifícios e que permite aferir desvios e avaliar a eficiência diária do hotel, transmitindo conhecimento e confiança aos hotéis (desde o gestor ao técnico responsável pelas instalações) para identificação de medidas de melhoria e suporte à gestão de energia, para a qual se estimam poupanças de energia de 5% a 10% pelo uso do sistema.
  • Facultar aos hotéis um diagnóstico energético acessível e rentável por via das ICT. O diagnóstico será realizado pelos hotéis seguindo a metodologia e a ferramenta HAT 2.0. Do diagnóstico resulta a identificação de medidas rentáveis de melhoria e de reabilitação de sistemas energéticos, da qualidade térmica de edifícios e potencial para incorporação de energias renováveis, que poderão ser dinamizadas com Contratos de Eficiência Energética, com períodos de retorno aceites pelos hotéis.
  • Estabelecer planos de ação para a gestão da eficiência energética para cada hotel, suportados pela monitorização e alarmística em tempo real e por soluções otimizadas de custo-benefício.
  • Estabelecer princípios dos contratos de melhoria da eficiência energética para os hotéis, tendo em conta as estimativas de poupança energética, os custos de investimento, os riscos/variáveis envolvidas neste setor específico e o baseline identificado, sendo dada enfase para a visão dos hotéis e análise de investimento de entidades de financiamento.
  • Criar conhecimento centralizado de apoio às políticas energéticas setoriais com a plataforma HAT 2.0 e com uma atualização contínua, bem como ser um sistema colaborativo de partilha dos melhores desempenhos/práticas, que se destina a vencer a barreira do conhecimento de Eficiência Energética e Energia Renovável nos hotéis e a promover contratos de eficiência energética e para que o setor mais facilmente responda a concursos de financiamento.

  • O LNEC, que tem por missão empreender, coordenar e promover a investigação científica e o desenvolvimento tecnológico, bem como outras atividades científicas e técnicas necessárias ao progresso e à boa prática da engenharia civil, que desenvolveu a plataforma Hotel Adaptation Tracker destinado a avaliar o desempenho de Hotéis e apoiar a implementação de medidas de melhoria de eficiência energética, hídrica e de adaptação às alterações climáticas
    www.lnec.pt
  • O IPMA, que tem por missão promover e coordenar a investigação científica, o desenvolvimento tecnológico, a inovação e a prestação de serviços no domínio do mar e da atmosfera, assegurando a implementação das estratégias e políticas nacionais nas suas áreas de atuação, contribuindo para o desenvolvimento económico e social, sendo investido nas funções de autoridade nacional nos domínios da meteorologia, meteorologia aeronáutica, do clima, da sismologia e do geomagnetismo
    www.ipma.pt
  • A AHP (Associação da Hotelaria de Portugal) que é a maior associação de âmbito nacional no setor da hotelaria, beneficiando do estatuto de utilidade pública e contando com mais de 600 associados que representam mais de 60% das camas hoteleiras existentes em Portugal, cabendo-lhe a defesa e representação dos interesses das empresas que geram ou exploram empreendimentos turísticos, maxime, estabelecimentos hoteleiros:
    www.hoteis-portugal.pt/
  • A ATP que é a associação empresarial, de âmbito nacional, do sector do Termalismo contando com 41 associados, Concessionários e titulares de Estabelecimentos Termais em Portugal, cabendo-lhe a representação e defesa dos interesses relativos ao termalismo e às Termas
    www.termasdeportugal.pt/
  • A SCHENEIDER ELECTRIC que tem por intuito desenvolver tecnologias e soluções conectadas de gestão de energia e processos, de uma forma segura, fiável, eficiente e sustentável, investindo em investigação e desenvolvimento a fim de apoiar a inovação e a diferenciação, tendo sempre em mente um forte compromisso com o desenvolvimento sustentável
    www.schneider-electric.pt/pt/

O Projeto Percent é financiado pelo FAI (Fundo de Apoio à Inovação) que tem por missão o apoio à inovação, ao desenvolvimento tecnológico e ao investimento nas áreas das energias renováveis e eficiência energética, em concretização das metas definidas no Plano Nacional de Ação para as Energias Renováveis (PNAER), no Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética (PNAEE) e na estratégia nacional de energia.
Mais informação disponível em: http://fai.pt/o-fai/#

Consórcio


 

 

 

Equipa

LNEC
Investigador Responsável: Armando Pinto,
Anabela Oliveira, João Rogeiro, Ricardo Martins, Joana Teixeira, António Silva Santos

AHP
Pedro Valentim Ramos

ATP
João Pinto Barbosa

Schneider
Luis Hagatong

IPMA
Fátima Espirito Santo Coelho, Álvaro Pimpão

 

Financiamento

O Projeto Percent é financiado pelo FAI (Fundo de Apoio à Inovação) que tem por missão o apoio à inovação, ao desenvolvimento tecnológico e ao investimento nas áreas das energias renováveis e eficiência energética, em concretização das metas definidas no Plano Nacional de Ação para as Energias Renováveis (PNAER), no Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética (PNAEE) e na estratégia nacional de energia.

 

Mais informação disponível em: http://fai.pt/o-fai/#

Contacto


Laboratório Nacional de Engenharia Civil
Av. do Brasil, 101
1700-066 LISBOA
PORTUGAL

Armando Pinto

218 443 854

 

 

Resumo

O projeto PERCENT é um estudo técnico-cientifico ao abrigo da Tipologia d), do artigo n.º 3 do Regulamento do Fundo de Apoio à Inovação para Promoção da eficiência Energética, energia Renovável e Contratos de Eficiência eNergéTica no setor da hotelaria, que se destina suportar de forma efetiva o conhecimento das entidades públicas e privadas na área da eficiência energética e das energias renováveis.

A eficiência energética tem vindo a constituir uma exigência cada vez mais premente para os hotéis a nível nacional e internacional, promovendo simultaneamente um conjunto de oportunidades para as entidades melhorarem o seu desempenho energético num contexto de alterações climáticas.
Os hotéis são edifícios com elevados consumos específicos de energia (por ex. cerca de 10 vezes superiores ao de uma dormida em habitação), sendo a energia o 2.º custo de exploração a seguir aos recursos humanos. Os hotéis mais antigos integram tipicamente equipamentos pouco eficientes, requerendo assim investimentos significativos para a melhoria da sua eficiência energética. A incorporação de energias renováveis (por ex. solar térmico, fotovoltaico, biomassa) na hotelaria é pequena, apesar do seu potencial. A gestão e a monitorização diária dos consumos de energia são frequentemente realizadas de forma manual, não existindo capacidade de análise. Acresce que são poucos os hotéis com certificado energético e auditorias energéticas.

Medidas de reabilitação com impacto direto nos clientes (ex. decoração, amenidades, serviços) tendem a ter maior acolhimento pelos hotéis do que em medidas de EE e ER que requerem um estudo detalhada e menos acessível ao setor.

Este projeto de estudos pretende desenvolver um método e ferramentas que permitam às entidades hoteleiras portuguesas melhorarem o seu desempenho energético por via das ICT, com vantagens a nível económico, promovendo simultaneamente o seu acesso ao mercado de serviços energéticos. Por outro lado, pretende dotar as entidades públicas de ferramentas para apoios ao desenvolvimento de políticas públicas.

Objetivos

O presente projeto dinamiza uma abordagem colaborativa de transferência de conhecimento para a promoção da eficiência energética em hotéis, em articulação com os objetivos do Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética (PNAEE) e da Diretiva sobre Eficiência Energética. A abordagem proposta e a sua implementação assentam em Tecnologias da Comunicação e Informação, as quais permitirão de uma forma rentável:

  • Implementar nos hotéis um sistema inovador de monitorização e de alarmística energética, em que serão utilizados sistemas de medição e transmissão de dados automáticos, ligados ao sistema de análise Hotel Adaptation Tracker (HAT). Este é suportado pela simulação energética em regime dinâmico dos edifícios e permite aferir desvios e avaliar a eficiência diária do hotel, transmitindo conhecimento e confiança aos hotéis (desde o gestor ao técnico responsável pelas instalações) para identificação de medidas de melhoria e suporte à gestão de energia. Estimam-se poupanças de energia de 5% a 10% pelo uso do sistema.
  • Facultar aos hotéis um diagnóstico energético acessível e rentável por via das TIC. O diagnóstico será realizado pelos hotéis seguindo a metodologia e a ferramenta HAT 2.0. Do diagnóstico resulta a identificação de medidas rentáveis de melhoria e de reabilitação de sistemas energéticos, da qualidade térmica de edifícios e potencial para incorporação de energias renováveis, que poderão ser dinamizadas com Contratos de Eficiência Energética, com períodos de retorno aceites pelos hotéis.
  • Estabelecer planos de ação para a gestão da eficiência energética para cada hotel, suportados pela monitorização e alarmística em tempo real e por soluções otimizadas de custo-benefício.
  • Estabelecer princípios dos contratos de melhoria da eficiência energética para os hotéis, tendo em conta as estimativas de poupança energética, os custos de investimento, os riscos/variáveis envolvidas neste setor específico e o baseline identificado, sendo dada enfase para a visão dos hotéis e análise de investimento de entidades de financiamento.
  • Criar conhecimento centralizado de apoio às políticas energéticas setoriais com a plataforma HAT 2.0 e com uma atualização contínua, bem como ser um sistema colaborativo de partilha dos melhores desempenhos/práticas, que se destina a vencer a barreira do conhecimento de Eficiência Energética e Energia Renovável nos hotéis e a promover contratos de eficiência energética e para que o setor mais facilmente responda a concursos de financiamento.